Sidebar

15
Sáb, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Fórum Nacional de Saúde e Segurança dos Trabalhadores das Centrais Sindicais convoca todos os trabalhadores e militantes de movimentos Sociais para o ato que será realizado na próxima sexta-feira (27), em São Paulo, em memória às vítimas de acidentes e doenças do trabalho.

“Queremos resgatar a dimensão humana do trabalho, lutar pelo fim de metas e exigências abusivas que desconsideram os limites físicos e psíquicos dos trabalhadores e chamar a atenção da sociedade para a violência e perseguição sofrida diuturnamente pelos trabalhadores e trabalhadoras e, suas organizações nos locais de trabalho”, diz o a convocatória assinada por CTB, CUT, FS, NCST, UGT e CGTB, além do Dieese.

Embora desde 2003 a OIT consagre a data à reflexão sobre a segurança e saúde no trabalho, as centrais sindicais mantêm o espírito de denúncia e de luta que a originou, dando visibilidade às doenças e acidentes do trabalho e aos temas sobre Saúde do Trabalhador em discussão na agenda sindical.

A data oficial de celebração se dá em 28 de abril (sábado). O movimento surgiu inicialmente no Canadá, por conta de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, no ano de 1969.

Segundo as centrais e o Dieese, somente no Brasil dados oficiais de 2008 a 2010 apontam o registro de 2,3 milhões acidentes de trabalho, dentre os quais 8.089 fatais – cerca de uma morte por acidente de trabalho a cada 3,5 horas. Desse total de acidentes, 41.798 trabalhadores ficaram permanentemente incapacitados para exercer suas antigas funções.

As centrais também irão aproveitar a data para debater com a sociedade um caráter mais humanista dos procedimentos de perícia médica a que são submetidos os trabalhadores. Além disso, serão rechaçadas quaisquer iniciativas que sugiram retirar do Estado o controle da Previdência Social.

“Exigimos a humanização das perícias médicas e a modificação da política gerencial meramente securitária do INSS que trata os trabalhadores adoecidos como fraudadores do sistema, imputando uma trajetória de humilhações para conceder os benefícios, esquecendo que estes são DIREITOS dos trabalhadores, contribuintes do sistema. Além disso, rechaçamos quaisquer iniciativas que visem favorecer a privatização da Previdência Social e reiteramos os seus princípios de Seguridade Social assegurados na Constituição Federal de 1988”, finaliza o texto.

Serviço

Ato em memória das vítimas de acidentes e doenças do trabalho

Quando: Sexta-feira, 27 de abril
Onde: Em frente à superintendência do INSS, em São Paulo, na Rua Santa Ifigênia, 266
Horário: 9h às 13h

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.