24
Ter, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal realizou audiência pública nesta quarta-feira (3) para discutir a situação dos peritos do INSS, bem como a paralisação da categoria que durou mais de 4 meses. A reunião foi presidida pelo senador Paulo Paim (PT/RS), presidente da CDH. Os médicos, parados desde setembro de 2015, voltaram às atividades semana passada, retomando apenas as perícias iniciais. Segundo informações, o estado de greve continua, pois a classe não teve as reivindicações atendidas. A categoria aguarda negociação com o governo. Participaram representantes da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP), Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Dirigentes da CTB, CUT e CSPB também integraram a lista de convidados. 

Os sindicalistas expuseram a situação dos peritos no Brasil e cobraram medidas que atendam as necessidades desses trabalhadores, promovendo a valorização da categoria. Em nome da CTB, João Paulo Ribeiro destacou a necessidade de diálogo entre os órgãos responsáveis pelo serviço de perícia médica no País e representantes dos empregados do setor, a fim de solucionar o problema. 

"Nós da CTB não achamos normal uma greve tão longa, mas o Ministério da Previdência precisa melhorar seus mecanismos de negociação, pois não há elementos palpáveis para se chegar a um acordo. Assinamos embaixo de toda e qualquer revindicação dos peritos. É preciso compreender o que é o serviço público e valorizar o trabalhador", disse. Segundo JP, os órgãos competentes devem se dispor a ouvir as organizações sindicais, conhecedoras das necessidades da categoria. "Tentamos fazer negociações, mas não fomos recebidos. Ou sentamos com todos os órgãos para debater ou nao há como resolver", declarou.

 

ACDHJP

JP e o presidente da Associação Nac. dos Serv. Efetivos das Agências Reguladoras Federais (ANER), Thiago Botelho

 

Os peritos reinvindicam o aumento salarial de 27,5%, a redução da carga horária para 30 horas semanais, a recomposição do quadro de servidores e o retorno da carreira médica pericial exclusiva, com o fim da atividade dos médicos terceirizados no INSS. 

Ao final da audiência o Coordenador-Geral de Negociação e Relações Sindicais da Secretaria de Relações de Trabalho do MPOG, José Borges de Carvalho Filho, informou que ontem (2) houve um encontro no ministério com o sindicato da categoria. Borges concluiu dizendo que a reunião foi positiva e produziu avanços. A CTB está em contato com a entidade e posteriormente divulgará informações sobre as negociações.

 

De Brasília, Ruth Helena de Souza - Portal CTB

0
0
0
s2sdefault
Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro