Sidebar

17
Dom, Fev

Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará

  • ASSUFBA completa 38 anos de comprometimento com o serviço público

    Trincheira de luta em defesa do serviço público e das universidades federais, a ASSUFBA (Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Universidades Públicas Federais no Estado da Bahia) completou, no dia 1º de dezembro, 38 anos de fundação.

    Ao longo de quase quatro décadas, a entidade tem como prioridades o compromisso com a verdade, a ética e a responsabilidade com as demandas da categoria.

    Fundada em 1980, ainda como Associação e em uma conjuntura altamente difícil e repressiva de ditadura militar, a ASSUFBA protagonizou grandes batalhas e não se furtou de realizar paralisações e movimentos grevistas, em defesa de salários e por melhorias de trabalhos.

    Mesmo recém-fundada, logo no início, a ASSUFBA já deu mostras da seriedade e do compromisso com a categoria. Em 1984, a entidade fez uma memorável greve nacional, que durou 84 dias. Como fruto da movimentação, foi elaborado o primeiro plano de cargos e salários dos Técnico-Administrativos em Educação.

    De lá para cá, o Sindicato garantiu grandes conquistas, como a Isonomia Salarial com as Universidades/Fundações, o Regime Jurídico Único do Serviço Público Federal, a jornada de 30 horas – transitado em julgado no Supremo Tribunal Federal, o saque do FGTS e a Carta Sindical.

    Hoje, a entidade cresceu e representa os servidores da UFBA, UFRB, UFOB, UFSB e Unilab, desempenhando papel decisivo na busca por melhorias para os trabalhadores.

    A mobilização para assegurar avanços para os TAE’s, no entanto, caminha lado a lado com a defesa da universidade pública, gratuita, democrática e de qualidade. A luta continua, sobretudo, diante da conjuntura que se desenha, ainda mais difícil.

    CTB Bahia

  • Lutas dos Servidores Públicos

    Os serviços e bens públicos têm centralidade na construção da sociedade. Somente com um setor público forte é possível enfrentar as contradições de uma nação cujo modelo econômico é fundado na desigualdade.

    Diante do governo Temer, a luta dos servidores públicos se acirrou como nunca. Os projetos de lei impostos pelo governo de exceção trazem ameaças às estatais e ao setor público de forma geral. Entre eles, o PLS 555, que transformará as estatais em sociedades anônimas, ou o PLP 268, que ameaça a representação dos trabalhadores nos fundos de pensão, conquista histórica alcançada na década de 1970. Há outras propostas em tramitação que ameaçam diversos setores da esfera pública e, diante deste quadro preocupante, lutar torna-se ainda mais central na construção de um futuro mais justo.

  • Por 13º servidores de Juiz de Fora podem cruzar os braços dia 21 de dezembro

    O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (Sinserpu-JF), Amarildo Romanazzi, informa que os trabalhadores e trabalhadioras vão paralisar suas atividades no próximo dia 21 de dezembro, caso o pagamento do décimo-terceiro salário não seja efetuado até o dia anterior – ou seja, 20 de dezembro.

    “Isso foi deliberado na última assembleia dos servidores, no dia 29 de novembro, e agora aproveitamos para comunicar a possível paralisação aos membros e frequentadores do poder Legislativo e ao mesmo tempo é um pedido aos vereadores que intercedam para que isso, o não pagamento, não passe de uma possibilidade”, disse Amarildo Romanazzi.


    O presidente do SINSERPU-JF também protesta contra o processo de sucateamento da Guarda Municipal. Para o sindicalista é preciso, antes de mais nada, efetivar novos integrantes à corporação. “Há gente insuficiente e uma grande sobrecarga de trabalho. A Prefeitura tem a oportunidade de amenizar isso, fazendo efetivação de novos profissionais”, argumentou Amarildo Romanazzi.

    Fonte:  Sinserpu-JF

  • Servidores estaduais unificam luta rumo à greve geral

    Diversas categorias de servidores públicos estaduais se reuniram ontem (25/04) pela manhã, no Palácio da Abolição, para uma Plenária Geral convocada pelo Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec). Na Plenária, as lideranças reforçaram a necessidade da realização de assembleias específicas para a construção de uma possível greve geral.

    Também foi definida a realização de uma nova Plenária na próxima quinta-feira, dia 28 de abril, quando as diversas categorias se reunirão novamente em frente ao Palácio da Abolição. O movimento deverá contar com a participação expressiva dos professores da rede estadual, que deflagraram greve por tempo indeterminado a partir de hoje.

    Com ampla cobertura da imprensa, o ato político visou fortalecer a mobilização dos servidores públicos e demonstrar, para o governo, a insatisfação dos trabalhadores com o adiamento dos debates acerca do reajuste salarial. Soma-se a isto o desrespeito à data base dos servidores, fixada por lei em 1º de janeiro.

    Os servidores estaduais pedem R$ 12,67% de recomposição, com o objetivo de repor a inflação do ano passado, de 10,67%, e agregar mais 2% para minimizar parte das perdas salariais acumuladas, já que o poder aquisitivo do funcionalismo público caiu 57% de 1999 a 2015.

    Encaminhamentos da Plenária Geral

    Os servidores dos 17 sindicatos e associações presentes na Plenária Geral, dentre eles o Sintaf, Sinduece, Sindetran e Sindisaúde, definiram os seguintes encaminhamentos:

    - Realização de assembleias específicas em cada sindicato, a fim de construir, em conjunto com as bases, a greve geral do serviço público estadual;

    - Realização de nova Plenária na quinta-feira, dia 28 de abril, às 9h, no Palácio da Abolição, com a participação expressiva dos professores da rede estadual;

    - Criação do Comitê em Defesa da Democracia e das Organizações dos Trabalhadores no âmbito do Fuaspec;

    - Participação nas atividades do dia 1º de Maio, Dia do Trabalhador, em defesa dos direitos trabalhistas, do serviço público e da democracia (as comemorações serão realizadas na Av. Leste Oeste, com concentração na Areninha do Pirambu, a partir das 8h. Em seguida haverá uma caminhada até o Cuca Che Guevara/Barra do Ceará, encerrando com ato político e cultural).

    - Participação do Fuaspec na Assembleia Geral da Sinduece, no dia 29 de abril, às 9h, no auditório da Uece (Campus do Itaperi).

    Fonte: Sindsaúde-CE

  • Sindsaúde do Ceará participa de reunião que deve definir conselho gestor do Issec

    Representantes de entidades sindicais que compõem o Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec) se reuniram na manhã desta terça-feira (3) para definir os nomes que irão compor o Conselho de Gestão do Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará, e instituição do Fundo de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Ceará (Issec). A reunião ocorreu em caráter de urgência para viabilizar a adesão dos servidores ao novo modelo de financiamento do Issec, aprovado na Assembleia Legislativa no último dia 22/03. Além do Conselho de Gestão, será composto também um Conselho de Fiscalização que deve assegurar a transparência na aplicação dos recursos do Instituto.

    Com a criação deste Fundo, o Issec passa a funcionar como um novo modelo de assistência à saúde, com repasses financeiros do Governo do Ceará e contribuição mensal dos servidores e pensionistas que optarem pela assistência.

    A aprovação da mensagem ocorreu após muitas negociações que resultaram na garantia de R$ 120 milhões para atendimento à saúde e, no mínimo, R$ 10 milhões a mais para pagamento da folha dos servidores do Instituto.

    A proposta do novo modelo de gestão foi bastante discutida com as entidades sindicais representativas dos servidores do Estado e apresentada aos servidores, que aprovaram o novo modelo como forma de revitalizar o Instituto. “Agora, vamos permanecer vigilantes, através do Conselho Gestor, para que , com o aumento dos recursos destinados ao ISSEC e a contrapartida dos servidores, o serviço fique realmente melhor” – afirma Silvânia Lopes, diretora do Sindsaúde e servidora da saúde do estado.

    Durante dois meses, o Sindsaúde realizou reuniões com os servidores nas unidades de saúde do Estado para apresentar a proposta de reestruturação do ISSEC. Além dos hospitais da rede estadual, receberam os dirigentes do Sindsaúde o Lacen e o Hemoce.

    O novo modelo de funcionamento do ISSEC prevê a ampliação dos atendimentos, hoje restritos, junto à rede conveniada que atende aos servidores públicos do estado, mudando a forma de financiamento e acesso aos serviços prestados, com contrapartida dos servidores que fizerem a opção do serviço.

    Fonte: Sindsaúde-CE