Sidebar

16
Ter, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A desculpa de reduzir os gastos públicos é usada agora pelo governo interino de Michel Temer para acabar com as ações da Justiça do Trabalho. Os movimentos sociais estão de olho e se farão um grande ato nesta manhã na Bahia.

A manifestação, que tem apoio do Sindicato dos Bancários da Bahia, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Amatra/BA (Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da Bahia) e outras entidades, acontece nesta segunda-feira (11), em frente à Justiça do Trabalho, no Comércio.

O sufocamento das ações da Justiça foi feito através do corte de 70% (mais de R$ 880 milhões) das verbas destinadas após aprovação da LOA (Lei do Orçamento Anual) em fevereiro.

O presidente do Sindicato da Bahia, Augusto Vasconcelos, alerta que reduzir o papel da Justiça do Trabalho só beneficia as grandes empresas, que diariamente sonegam os direitos trabalhistas. A alternativa para conter os gastos, para o presidente, deve ser outra. “Enquanto atividades essenciais são asfixiadas pelo discurso do ajuste fiscal, o governo continua transferindo bilhões de reais todos os meses para honrar a dívida com bancos, indexadas pela maior taxa de juros do planeta. O primeiro passo para melhorar as contas públicas é enfrentar o gargalo do endividamento com o sistema financeiro que se beneficia de uma Selic alta. Reduzir o papel da justiça do trabalho só beneficia os poderosos que diariamente sonegam direitos trabalhistas. Não vamos aceitar!” Augusto Vasconcelos”, afirmou Vasconcelos.

Fonte: FEEB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.