Sidebar

17
Qui, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Milhares de pessoas tomaram as ruas da Cidade Baixa, em Salvador, nesta  quinta-feira (12/1) para acompanhar as homenagens ao Senhor do Bonfim, o padroeiro da Bahia. A celebração começou com um cortejo de oito quilômetros entre a Igreja da Conceição da Praia e a Colina Sagrada, onde as baianas cumprem o ritual de lavagem das escadarias da Catedral do Bonfim.

A CTB esteve presente no evento, que mistura fé, protesto e festa bem ao jeito baiano. Para o cortejo, levou as principais bandeiras da classe trabalhadora neste momento: a luta contra a reforma da Previdência, a terceirização e a retirada de direitos, além da defesa da democracia e de convocação de eleições direitas já !. O “Fora Temer” também permeou todo o material como questão prioritária.

“A CTB está sempre presente nas manifestações populares da Bahia, buscando passar a mensagem de luta e resistência, que a classe trabalhadora sempre teve. Assim como o ano passado, 2017 vai ser um ano de muita luta. Há toda uma agenda regressiva contra os trabalhadores, mas , com muita fé, vamos até a Colina Sagrada mostrando  para o povo que precisamos fortalecer cada vez mais a mobilização popular, para que a nossa agenda positiva, a agenda da classe trabalhadora, avance e provoque grandes  transformações sociais. A festa do Bonfim é um momento propício para isso, pois tem presença massiva da população. Então, a CTB está  aqui, pois estará sempre onde o povo estiver”, ressaltou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira, durante o cortejo.

A Central não estava sozinha na tarefa de defender os direitos sociais e trabalhistas. O bloco cetebista era composto por sindicatos de diversas categorias, que levavam suas bandeiras de luta para a festa. A CUT, UGT e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo também participaram da Festa do Bonfim em 2017.

Eliane Costa - Assessoria de Comunicação - CTB-Bahia

Salvar

Salvar

Salvar

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.