Sidebar

21
Seg, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Para marcar o Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira (8), centrais sindicais e representantes de movimentos sociais promoveram diversas manifestações pelo país durante todo o dia.

Em Salvador, mulheres, homens, jovens, crianças e idosos saíram do Campo Grande, no centro da cidade, em direção ao bairro do comércio, com faixas e cartazes com dizeres como "Mulheres na rua contra a reforma da previdência. Diga não à violência contra a mulher”.

Várias entidades defenderam uma reforma política democrática com igualdade de gênero, protestaram contra a reforma da Previdência, a violência, o racismo, e a luta contra a retirada de direitos.

Durante a macha a percussão dos tambores femininos deram o tom às canções de resistência da mulher. " Mulheres unidas jamais serão vencidas. Ôh abre-alas que as mulheres vão passar”. Diz uma das canções que as mulheres cantaram durante o ato.

Em sua fala a vice-presidenta da CTB-BA, Rosa de Souza disse que as mulheres continuam no processo de serem secundarizadas. “Continuamos na briga pela igualdade e oportunidade no mercado de trabalho, a equiparação salarial, as mesmas condições nos cargos de chefia, são bandeiras importantes que temos que defender não só hoje no dia internacional da mulher e sim todos os dias”.

Rosa disse também que neste dia as mulheres trabalhadoras não se unem só para celebrar a data e sim para defender a democracia. “Não vamos aceitar esse golpe, não admitimos uma reforma na Previdência que seja contra a vida da sociedade, em especial contra a vida das mulheres. Esse governo golpista desconsidera a realidade das mulheres em nosso país, nas triplas jornadas de trabalho”, concluiu.

Fonte: CTB-BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.