20
Qua, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Mais de 100 mil trabalhadores e trabalhadoras, estudantes, militantes dos mais diversos partidos e movimentos sociais, cidadãos e cidadãs de todas as partes da cidade, se reuniram no fim da tarde dessa quinta-feira (18), no centro do Rio de Janeiro, para um enorme protesto exigindo a destituição imediata de Michel Temer da presidência e a realização de novas eleições. O ato, convocado pelas centrais sindicais e pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, foi convocado às pressas após as graves denúncias, com provas, apresentadas ao país ontem pelos mais diversos veículos de comunicação.

A atividade reuniu centenas de milhares de pessoas na praça da Candelária e tomou a avenida Rio Branco de ponta a ponta, mostrando a unidade dos setores progressistas nesse momento decisivo para o Brasil. Dali seguiu até a histórica praça da Cinelândia, onde se encerrou após mais uma ação desproporcional da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

No caminho, palavras de ordem unificavam os manifestantes em torno das bandeiras de “Fora Temer” e “Diretas Já”. Discursos contra a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a Reforma do Ensino Médio também tiveram força na atividade. O presidente da CTB-RJ, Ronaldo Leite, valorizou a unidade dos trabalhadores e das trabalhadoras nessa luta. “O governo Temer deixou quaisquer condição de governar por isso agora é Fora Temer e Diretas Já. Esse ato acontece em todo o país com a centralidade no direito de escolha do povo. Nós queremos eleições diretas”, disse, antes de subir para auxiliar no comando do ato junto aos representantes das outras centrais.

O representante da União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro (UEE-RJ), Leonardo Guimarães, falou que os estudantes estão ao lado dos trabalhadores e que querem votar para presidente:

“A gente tá num ato que tem milhares de trabalhadores, trabalhadoras, jovens, estudantes para se organizar e dizer que, nesse momento histórico da política, nós estamos ao lado dos trabalhadores. E o lado do trabalhador é o lado do Fora Temer, e também o das Diretas Já. Existe um processo dos conservadores para fazer com que esse congresso conservador eleja o presidente da República e nós não vamos deixar. Eu quero votar pra Presidente!”

O Secretário de Comunicação e Imprensa da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, valorizou a unidade do ato e fez duras críticas aos que acabaram por dispersar essa grandiosa e legítima manifestação do povo fluminense:

“O Brasil hoje, 18 de maio, viveu um dia histórico. Centena de milhares de trabalhadores e trabalhadoras, do campo e da cidade, o movimento estudantil, o movimento negro, LGBT, homens e mulheres de todo canto desse país foram às ruas pedir Diretas Já e Fora Temer. No Rio de Janeiro, 100 mil pessoas foram da Candelária até a Cinelândia numa marcha das Centrais Sindicais e das Frentes Brasil Popular, Povo sem Medo e Esquerda Socialista, em grande demonstração de unidade. Parlamentares de diversos partidos se revezaram no microfone. O campo popular e democrático se uniu para dizer que esse governo está podre e vai cair pela força do povo nas ruas. Infelizmente, mais uma vez, sabotadores e a polícia fizeram o povo de escudo e encerram uma atividade gigante jogando bombas e balas de borracha sobre o povo. O governo Temer e seus aliados nos estados podem até querer reprimir nossas manifestações, mas não conseguirão nos tirar das ruas. Fora Temer, Diretas Já!” 

Por José Roberto Medeiros, da CTB-RJ
Foto: Melissa Carvalho