Sidebar

26
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A direção dos Correios decidiu nesta terça-feira (28) suspender o desconto de greve da campanha salarial 2015. A decisão ocorreu após intervenção da Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (FINDECT), que negociou com a empresa a suspensão do desconto. O diretor da Federação e também presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios e Similares de São Paulo (Sintect-SP), Elias Diviza, esteve em Brasília com o vice-presidente de Gestão de Pessoas dos Correios, Heli Siqueira, e o gerente de Relações do Trabalho, Fagner José Rodrigues, para negociar a suspensão do desconto das horas de greve dos empregados que tiveram os valores debitados indevidamente pela ECT. Após um dia de intensa negociação, a FINDECT conseguiu junto à empresa a suspensão dos descontos, seguida de uma reavaliação do processo de cobrança.

Por meio de um documento, a direção da ECT se comprometeu ainda se reunir com todas as Direções Regionais (DRs) dos Correios, a fim de averiguar ilegalidades no processo de desconto. "Atendendo à reivindicação da FINDECT, nos reuniremos com as regionais, na próxima semana, no esforço de regularizar a situação e corrigir as cobranças indevidas”, declarou Siqueira.

Entenda o caso

Após a paralisação ocorrida durante a campanha salarial de 2015, grande parte dos trabalhadores da ECT procuraram a FINDECT e seus sindicatos para denunciar descontos, considerados indevidos, sob a alegação de que não foram convocados pela ECT no prazo determinado pelo Acordo Coletivo.

De acordo a cláusula 78 do Acordo Coletivo 2015/2016, a ECT tem um prazo de 90 dias para compensação de greve. O referido prazo, referente a paralisação do ano passado, se esgotou em 3 de janeiro deste ano. No entanto, a empresa não fez a convocação neste período, mas cobrou de todos os trabalhadores que aderiram à greve, inclusive de alguns que estavam licenciados ou em período de férias. Segundo a regra, os Correios deveriam ter feito a convocação no prazo determinado e descontar apenas dos empregados que que foram chamados e se recusaram a compensar as horas paradas.

Após reinvidicação da FINDECT, a ECT se comprometeu em restituir os valores cobrados dos empregados até o próximo dia 18 e suspender para averiguar e reavaliar todo o processo.

“O nosso objetivo seria obter a suspensão total da cobrança. Como não houve acordo em relação a isso, conseguimos com a ECT a suspensão e restituição das quantias, um avanço considerável. Pedimos que as DRs tenham a mesma sensibilidade que a direção da ECT teve aqui, por meio do seu vice, Siqueira, Fagner e demais gestores, porque é injusto cobrar essa dívida dos trabalhadores. AFINDECT vai estar junto, acompanhando todo o processo, a fim de garantir o cumprimento do acordo e o melhor para a categoria”, pontuou Diviza.

Confira a íntegra da decisão

 

AECTDOC2

 

De Brasília, Ruth de Souza – Portal CTB

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.