Dia Internacional da Mulher
8 Março de 2014
CTB participa na capital paulista de ato para lembrar o Direito da Nação à Memória e à Verdade .
50 anos do Golpe - Abril de 2014 - Ato em homenagem à resistência e luta pela democracia.
8ª Marcha Nacional da Classe Trabalhadora
9 de abril de 2014 - Avenida Paulista - SP
8ª Marcha Nacional da Classe Trabalhadora
9 de abril de 2014 - Avenida Paulista - SP
Dia do Trabalhador - Ato unificado da CTB, CUT e CSB.
1 de maio de 2014 no Anhangabaú em São Paulo
Leci Brandão no Dia do Trabalhador - Ato unificado da CTB, CUT e CSB.
1 de maio de 2014 no Anhangabaú em São Paulo
Adilson Araújo, presidente nacional da CTB, e Onofre Gonçalves, presidente da CTB São Paulo.
1 de maio de 2014 no Anhangabaú em São Paulo
Delegação da CTB presente no 6º Encontro Sindical Nossa América (Esna)
2 e 3 de maio de 2014 em Havana, Cuba.
Delegação da CTB presente no Dia do Trabalhador em Havana, Cuba.
1 de maio de 2014
CTB presta homenagem aos sindicalistas vítimas da ditadura.
14 de maio de 2014 no Centro Cultural São Paulo.
CTB presta homenagem aos sindicalistas vítimas da ditadura.
14 de maio de 2014 no Centro Cultural São Paulo.
A CTB participou do 20º Grito da Terra Brasil (GTB), manifestação organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag)
20 de maio de 2014 em Brasília, Distrito Federal
2º Seminário Jurídico da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
23 de maio de 2014
2º Seminário Jurídico da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
23 de maio de 2014
3º Encontro Nacional de Comunicação da CTB em Salvador Bahia
30 e 31 de maio de 2014
Equipe de comunicação da CTB presente no 3º Encontro Nacional em Salvador, Bahia.
30 e 31 de maio de 2014
CTB lança o Jornal Olho crítico, com uma tiragem de 100 mil para dialogar com a população paulistana, em especial usuários do Metrô.
24 de maio de 2014
III Fórum do BRICS Sindical em Fortaleza, Ceará.
24 de maio de 2014
1º Encontro sobre Gestão Financeira da CTB.
24 de julho de 2014
Solidariedade internacional: 2º Grande Ato Unificado pela Palestina.
27 de julho de 2014
Em ato com sindicalistas, a presidente Dilma Roussef recebe camiseta de Adilson Araújo, presidente da CTB.
7 de agosto de 2014
Lançamento da revista Rebele-se, editada pelo Coletivo Nacional de Luta pela Igualdade Racial.
11 de agosto de 2014
2º Encontro Nacional do Ramo dos Transportes da CTB
22 de agosto de 2014
Dia Internacional de Ação da FSM.
3 de outubro de 2014
Marcha da Consciência Negra no Dia Nacional de Zumbi.
20 de novembro de 2014
3º Encontro da Juventude da Federação Sindical Mundial (FSM)
30 de novembro de 2014 em Novo Hamburgo, RS.
14ª reunião da Direção Nacional da CTB.
11 de dezembro de 2014 em Salvador, Bahia.
14ª reunião da sua Direção Nacional da CTB.
12 de dezembro de 2014 em Salvador, Bahia.
Inauguração da nova sede da CTB Bahia e também da comemoração dos 7 anos da central.
12 de dezembro de 2014
Uma central classista, democrática e de luta.
2007-2014

Destaques

Destaques
cartao fim de ano

A CTB comunica que estará em recesso entre os  dias 19/12/2014 e 5/01/2015.

A CTB deseja um 2015 de muitas realizações, saúde e paz.

Articulação Continental de Movimentos Sociais convoca manifestações para 5 de junho

Com a proximidade de datas importantes como o Dia Internacional do Meio Ambiente (5 de junho) e o início da Cúpula dos Povos (15 de junho), que acontecerá no Rio de Janeiro, a Articulação Continental de Movimentos Sociais, formada por mais de 20 movimentos, organizações e meios de comunicação alternativos está preparando uma grande marcha para mostrar a força do povo contra os desmandos de presidentes e demais autoridades em assuntos relacionados a meio ambiente e direitos dos povos.

A Articulação está convocando todos e todas a se unirem no dia 5 de junho na Praça Francia, em Lima, no Peru, às 18 horas, para percorrer a avenida Wilson, a Arequipa, Canal 5 e terminar a manifestação pacífica na Praça Washington com um grande ato cultural. Organizações e movimentos de outros países também estão sendo chamados a replicar ações pacíficas para mostrar a insatisfação popular.

A intenção é unir, no 40º Dia Mundial do Meio Ambiente, homens e mulheres inconformados com injustiças como o massacre de Bagua. Juntar nas ruas pessoas dispostas a dizer não às propostas baseadas no capitalismo verde, que serão apresentadas no Rio de Janeiro, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – a Rio+20, e que veem sendo apresentadas durante os eventos mundiais que debatem o meio ambiente.

Em Convocatória para a manifestação de 5 de junho, a Articulação Continental de Movimentos Sociais denuncia que "Copenhague (2009), Cancún (2010), Nagoya (2010), Durban (2011) e a Conferência Rio+20 têm uma tendência a apenas afirmar propostas falsas e de reverdecimento do capitalismo para seguir explorando e depredando criminalmente, impulsionando os chamados mercado de carbono, mercantilizando a Mãe Terra para saqueá-la irresponsavelmente e desenvolvendo perigosas e irresponsáveis tecnologias de dominação da vida”.

Cientes dessa manobra, creem que o caminho para mudanças reais que possam beneficiar o planeta e sua população está na redistribuição da riqueza acumulada por uma pequena parcela de ‘transnacionais estrangeiras' e ‘políticos corruptos'. Defendem ainda que a saída para recuperar o equilíbrio entre a humanidade e a Mãe Terra está na recuperação do legado ancestral dos povos originários e na sua espiritualidade.

Durante a manifestação no Dia do Meio Ambiente, a Articulação Continental de Movimentos Sociais também levantará como importante bandeira o cancelamento imediato do projeto mineiro Conga. A exploração de ouro e cobre já recebeu o aval do presidente peruano Ollanta Humala e deve começará a funcionar em breve. Entre as justificativas, o presidente anunciou que Conga vai gerar cerca de 10 mil postos de trabalho diretos que vão beneficiar a população de Cajamarca.

O projeto mineiro poderá deixar a região de Cajamarca sem água ou sem acesso à água de qualidade, pois vai afetar quatro lagoas (Chica, Perol, Azul e Mala). Mesmo assim, o presidente aprovou definitivamente o polêmico projeto, que já gerou manifestações e deixou o departamento em alerta e fortemente militarizado.

Ollanta Humala anunciou que a empresa Yanacocha, executora do projeto, deverá cumprir condições como garantir o abastecimento de água de qualidade para a população das 13 províncias e desempenhar condições de proteção ambiental. O cumprimento dessas condicionantes será monitorado pelos ministérios de Energia e Minas, Agricultura e Ambiente.

Fonte: Agência Adital

  • Cultura & mídia

  • Clipping CTB

  • Mais lidas na semana

  • Últimas Notícias

Jornal Olho Crítico

jornal olho critico novembro-2014

Revista Visão Classista

VisaoClassista18Capa

Revista Mulher D'Classe

revista mulher classe n4 2014 03

Revista Rebele-se

revista-rebele-se-N1-junho-2014