Sidebar

15
Sáb, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em entrevista ao Jornal da CTB, o presidente da CTB no Pará, Cleber Resende, faz balanço das lutas e vitórias naquele estado e aponta os desafios da classe trabalhadora no Brasil e na região Norte.

Confira: 

Jornal CTB: O país atravessa um momento adverso. Como a CTB-PA avalia esse cenário?

Cleber Resende: Cenário complexo, adverso para a classe trabalhadora e desafiador para o povo brasileiro por novos rumos e saídas pela retomada da democracia e por um novo projeto de desenvolvimento nacional, pela geração de empregos, distribuição de rendas e pela volta do crescimento econômico e do desenvolvimento social. O que só é possível com eleições gerais, democráticas e transparentes para os brasileiros e as brasileiras elegerem, via o voto popular e soberano, um projeto de afirmação da soberania do país e que ponha fim às reformas em cursos de desmontes dos direitos da classe trabalhadora.   

Jornal CTB:  Qual o direcionamento da central para este ano de eleição?

Cleber Resende: Nos governos Lula e Dilma o Brasil avançou, reafirmamos a soberania brasileira, conquistamos direitos e políticas públicas importantes e tivemos o reconhecimento legal das Centrais Sindicais. No entanto, no após golpe em 2016, a classe trabalhadora e o povo brasileiro veem enfrentando graves retrocessos a partir das deliberações políticas do governo Temer e do congresso nacional e, tudo isso foi a partir das decisões politicas em Brasília.

Portanto, temos nas eleições gerais a oportunidade e a tarefa política de ajudar a eleger presidente, governador, senadores e deputados federais e estaduais, ou seja, homens e mulheres, comprometidos com um projeto de país soberano, pela retomada do desenvolvimento com valorização do trabalho e afirmação dos direitos e interesses da classe trabalhadora, que valorize e potencialize os aspectos amazônicos enquanto parte indutora e determinante da retomada do desenvolvimento nacional.   

Jornal CTB: Nestes 10 anos a CTB cresceu. Qual o saldo da luta no Pará?

Cleber Resende: Administrar a CTB nos seus 8 anos iniciais, nos governos democráticos e de crescimento econômico, foi uma realidade favorável ao movimento sindical. Já de 2016 pra cá, é outra realidade adversa ao mundo do trabalho e sindical brasileiro e paraense, o que se caracteriza por limitações e dificuldades. No entanto, a CTB Pará é uma Central Sindical respeitada politicamente, cresce a cada dia sua influência entre a classe trabalhadora, respeitada pelas outras Centrais e o conjunto do movimento sindical no Pará. Temos hegemonia no movimento sindical rodoviário, forte presença nos servidores públicos, importantes sindicatos de trabalhadores da construção civil, presença em conselhos estaduais do controle social, estamos presentes em polos industriais de desenvolvimento do Pará como Barcarena, Castanhal, Marabá, Parauapebas e Itaituba. O saldo é positivo e seguiremos trilhando os caminhos do crescimento, das relações respeitosas com as demais Centrais e o movimento sindical, reafirmando os sonhos de dias melhores para os trabalhadores e trabalhadoras.

Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault