Sidebar

14
Sex, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em sua última reunião na sexta-feira (31), o Fórum de Trabalhadores e Trabalhadoras por Verdade, Justiça e Reparação informou que o Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo realiza uma audiência pública sobre o envolvimento da Volkswagen do Brasil na prisão de trabalhadoras e trabalhadores em suas dependências durante a ditadura fascista (1964-1985).

“A própria empresa reconhece as arbitrariedades cometidas contra trabalhadoras e trabalhadores dentro da fábrica da Volks”, afirma João Belmiro de Araújo Duarte, um dos integrantes do movimento por reparação.

A audiência está marcada para a segunda-feira (10), às 17h, no MPF, que fica na rua Frei Caneca, 1.360, no bairro Cerqueira César, na capital paulista. Isso porque o inquérito já foi encerrado, depois de três anos, e a responsabilidade da empresa comprovada, mesmo assim, “eles jogam a culpa pelos acontecimentos em funcionários e se negam a reparar nossos prejuízos”, diz Duarte.

O caso da Companhia Doca (Codesp), de Santos, está em andamento e será encaminhado ao MPF em breve.  

Atendendo ao pedido do fórum o Ministério do Trabalho lançou a Portaria 671 para efetuar um levantamento de todas as entidades sindicais que sofreram com a intervenção no período investigado pela Comissão Nacional da Verdade.

O Grupo de Trabalho (GT) deverá apresentar relatório de suas atividades até 15 de dezembro deste ano. O fórum se manifestou pela continuidade do GT e então foi pactuada uma nova agenda até 2019, porém não há garantia ainda do financiamento de deslocamento da equipe de pesquisa, novas audiências e reuniões.

Márcia Viotto, socióloga e historiadora, representa a CTB nas reuniões do Fórum de Trabalhadores e Trabalhadoras por Verdade, Justiça e Reparação.

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault