18
Seg, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A CTB, terceira maior central sindical do Brasil, realizou nesta terça-feira (5) o Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, com manifestações por todo o País.

Em Brasília, cerca de 300 manifestantes se concentraram em frente ao Museu da República, num protesto com discursos, buzinaço, faixa e cartazes pedindo o fim da Reforma e a saída de Michel Temer do poder. "Se votar não volta!", foi o recado dado pelos presentes aos parlamentares favoráveis a PEC da Previdência.

Para o Secretário do Serviço Público e dos Trabalhadores Públicos da CTB, João Paulo Ribeiro (JP), "estamos resistindo a luta e protestando contra esse governo golpista que gastou R$ 99 milhões em propaganda falsa para dizer que nós trabalhadores do serviço público somos privilegiados. Não saíremos das ruas até impedir essa reforma nociva, não somente aos servidores, como a toda classe trabalhadora do Brasil".

No ato em Goiânia, o presidente da CTB, Railton Souza, disse que "as reformas de Temer, apresentadas como modernização, na verdade, são um retrocesso, uma vez que vão forçar o trabalhador a contribuir durante 40 anos para conseguir se aposentar. Não é uma reforma que moderniza e tira privilegios - é uma reforma que tira dos pobres e transfere para os ricos, banqueiros, a previdência privada e desmonta o maior programa social do Brasil, que é a Previdencia", criticou.

 

 

0
0
0
s2sdefault