Sidebar

16
Sex, Nov

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

“Derrotar a contraofensiva conservadora” este deve ser o centro dos debates que ocorrerão durante a realização do 15º Fórum Social Mundial 2016, segundo o secretário de Relações Internacionais da CTB, Divanilton Pereira.

Leia também: CTB organiza participação em Fórum Social Mundial Temático em Porto Alegre

De acordo com o dirigente, o evento acontece em um momento em que se observa o avanço das forças conservadoras e da direita, principalmente, nos países latino-americanos.

Exemplo disso é a eleição do direitista neoliberal Mauricio Macri na Argentina, da oposição venezuelana obter a maioria na Assembleia Nacional daquele país e das constantes tentativas de golpe contra a presidenta Dilma Rousseff no Brasil.

Na opinião de Pereira esta articulação dos movimentos sociais contribuiu para a formação do ciclo de governos progressistas na região e este caráter deve ser resgatado.

“Paz, democracia, direito dos povos e do planeta” será o lema do Fórum Social Temático que ocorre entre os dias 19 e 23 de janeiro em Porto Alegre (RS) e antecede o Fórum Social Mundial. 

Leia abaixo a íntegra da opinião da CTB sobre o Fórum Social Mundial:

A 15ª edição do Fórum Social Mundial instala-se em circunstâncias políticas bem singulares. Além dessa celebrar os 15 anos de seu surgimento, o evento ocorre numa conjuntura política internacional desafiadora, sobretudo na América Latina.

Essa ampla articulação social que teve como eixo político fundante a denúncia e o combate às resoluções dos encontros econômicos de Davos, ou seja, ao neoliberalismo, contribuiu destacadamente para a conquista do novo ciclo político progressista em nossa região.

Esse processo político, antes mesmo de se consolidar, sofre atualmente severos ataques pela sua interrupção. Os recentes resultados eleitorais na Argentina e na Venezuela são resultantes dessa ofensiva direitista.

Diante desse quadro a CTB compreende que o Fórum Social Mundial deve evitar a dispersão política e definir uma estratégia unitária que tenha como foco derrotar essa contraofensiva conservadora. Orientados por essa rota criaremos melhores condições de lutar e maiores possibilidades de êxitos pela paz, pela democracia, pelos direitos dos povos e do planeta, lema dessa edição.

A CTB participará, mais uma vez, desse encontro e oferecerá toda a sua energia para que o legado antineoliberal do Fórum Social Mundial seja fortalecido e, dessa forma, retome o seu protagonismo político.

Mãos à obra,

Divanilton Pereira, secretário de Relações Internacionais da CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.