Sidebar

15
Seg, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Na manhã desta quinta-feira (28) morreu o filósofo italiano Domenico Losurdo, aos 77 anos. A causa de sua morte foi um câncer cerebral, diagnosticado recentemente. 

Losurdo foi um dos mais importantes pensadores marxistas e desenvolveu em suas obras uma crítica contundente ao liberalismo, ao imperialismo e ao neocolonialismo, como formas de dominação preponderantes nas sociedades contemporâneas. 

Ele costumava dizer que é fundamental a compreensão de que a batalha contra o imperialismo e a guerra é parte integrante da luta de classes por sua emancipação. Em seu último livro, o polêmico e provocativo O marxismo ocidental, Losurdo diagnostica a "morte" do marxismo no Ocidente e discute as possibilidades dele "renascer" nos dias atuais.

"Perda imensurável para o pensamento crítico mundial, Losurdo deixa um precioso legado para o pensamento marxista. Suas reflexões, sempre afiadas e eruditas, concentram-se na crítica radical ao liberalismo, ao capitalismo, ao imperialismo e à “tradição colonialista”", diz editorial da Boitempo. Leia um trecho da obra disponibilizado pela editora.

Visita ao Brasil: Congresso da CTB e centenário da Revolução Russa

O filósofo esteve no Brasil em agosto passado e foi ao 4º Congresso Nacional da CTB, realizado em Salvador. Na ocasião, ele foi convidado para o evento que iria celebrar o centenário da revolução russa de outubro de 1917.

Adilson Araújo, Domenico Lusardo, Divanilton Pereira e João Batista Lemos durante o 4º Congresso Nacional da CTB

Em outubro, Losurdo voltou para participar do debate no Sindicato dos Engenheiros em São Paulo sobre o legado da Revolução Russa. O evento foi promovido pela CTB e a Fundação Mauricio Grabois com apoio da Editora Boitempo.

Em sua exposição, Losurdo afirmou que a revolução de outubro de 1917 marcou o início da luta anti-imperialista e anticolonialista. “Retomar a Revolução Russa significa ser contra o colonialismo, contra as tentativas de destruir o estado de bem-estar social, contra as políticas de austeridade, contra a polarização social que ocorre no ocidente, significa lutar pela paz”, 

O secretário de relações internacionais da CTB, Nivaldo Santana, diz que a morte do pensador é uma grande perda para a esquerda mundial. "Losurdo dedicou sua vida acadêmica e militância política para aprofundar e atualizar o pensamento marxista e para dotar os lutadores e lutadoras por um novo mundo de uma imensa contribuição teórica e crítica do capitalismo contemporâneo e das políticas colonialistas", afirma o dirigente. 

Assista à palestra na íntegra aqui:

 

 Portal CTB

 

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.