Sidebar

20
Seg, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta quarta-feira (14) mostra que 1 a cada 4 desempregados procura emprego há mais de 2 anos.

Um recorde histórico. Milhões desistem depois de incansável procura. Outros só conseguem emprego porque aceitam vagas precarizadas, sem carteira assinada e, portanto, sem direitos como férias, 13º e seguro desemprego.

O IBGE também revela que o que mais cresce no Brasil é o número de contratos sem carteira assinada - 522 mil a mais no 3º trimestre deste ano. E mais, no setor orivado, os menores percentuais de postos com carteira estam nas Regiões Nordeste (58,7%) e Norte (60,7%); o maior estava no Sul (83,4%).

Sem carteira

O estado brasileiro campeão dos sem carteira foi o Maranhão (48,9%), seguido pelo Piauí (45,9%) e Paraíba (45,1%).

Já as menores taxas dos sem carteira assinada foram registradas em Santa Catarina (11,6%), Rio Grande do Sul (17,2%) e São Paulo (18,9%). Nesses estados, as taxas de carteira assinada são as maiores do país: 88,4%, 82,8% e 81,1%, respectivamente. 

Jornal da CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.