Sidebar

20
Seg, Maio

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

As centrais sindicais CTB e CUT e a recém-criada Confederação Nacional dos Assalariados e Assalariadas Rurais (CONTAR) se reuniram na manhã desta quinta-feira (2) com a direção executiva da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) para discutir os impactos da Reforma da Previdência sobre os trabalhadores e trabalhadoras rurais do Brasil.

As medidas contidas no projeto de reforma previdenciária enviado ao Congresso Nacional pelo presidente ilegítimo Michel Temer prejudicam, principalmente, os trabalhadores do campo. As duas centrais apoiaram a proposta da Confederação em apresentar emendas de supressão e textos substitutivos aos pontos da PEC 287, em defesa do direito dos camponeses à aposentadoria. Juntas, as entidades pretendem criar ainda um comitê nacional de mobilização em defesa do direito à aposentadoria

CTB e CUT rechaçam a proposta de reforma defendida pelo governo e  discutem estratégias de luta contra o projeto. Durante o encontro, a CONTAG anunciou que trabalha na elaboraçao de uma proposta construída sob o ponto de vista da categoria rural, com medidas alternativas, justificativas técnicas contra o texto da PEC e enviar ao Congresso, propondo supressões e a retirada ou substituição da PEC 287.

'Não aceitamos essa reforma porque ela é extremamente nociva à toda a classe trabalhadora e a nossa saída é a mobilização. A CTB abraça a causa dos rurais e declara total apoio à proposta da CONTAG de derrubar a PEC 287. Dizemos não ao aumento da idade mínima e a obrigatoriedade de contribuição aos trabalhadores do campo que já sofrem com fatores como a informalidade e a ausência de políticas públicas que atendam as suas necessidades", declarou o dirigente da CTB, Carlos Rogério Nunes.

Além do aumento da idade para homens e mulheres do campo, que geralmente começam a trabalhar muito cedo -  70,2% da população rural ocupada feminina e 78,2% da masculina começaram a trabalhar antes dos 14 anos de idade - a proposta determina que trabalhadores rurais também terão que contribuir com o INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social). 

ctb reuniao contag broch

"A Proposta de reforma encaminhada ao congresso por Temer é extremamente nociva para o conjunto dos trabalhadores. Se olharmos para os rurais ela é uma proposta que veio fazer com quem ninguém mais consiga se aposentar. Hoje uma mulher da roça se aposenta com 55 anos e um homem com 60. O que o governo propõe é igualar todos a uma só idade - 65 anos. Imagina o trabalhador rural ter que trabalhar mais de 50 anos para poder se aposentar? Por outro lado, o governo vem também com essa conversa de que trabalhador rural nao contribui. Ele contribui toda vez que comercializa o que produz. Essa contribuição individual vai tambem excluir, com toda certeza, a grande maioria dos trabalhadores que não terao como contribuir, porque a maioria não tem renda mensal - depende da sua safra, colheita. Entao são propostas que vêm realmente com o objetivo de acabar com a previdência rura", acrescentou Secretário de Política Agrícola da CTB, Sérgio Miranda.

"Não há proposta de Reforma da Previdência. O que o governo golpista fez foi negociar a Previdência", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas, ao se referir à PEC 287.

 De Brasília, Ruth de Souza - Portal CTB

 

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Conferência Nacional

banner cndr 2015

Últimas notícias rurais