Sidebar

18
Qui, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
A direção estadual do Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil reuniu-se na última sexta-feira, 25 de abril, em Curitiba, para discutir a consolidação da entidade no Estado entre outros assuntos. A reunião contou com a participação de João Batista Lemos, dirigente nacional da Central. 

A meta de filiação de sindicatos à CTB até setembro, data do Congresso da Entidade, ficou estabelecida em 70 sindicatos. Até o momento, há mais de 30 sindicatos legalmente filiados no Paraná. O presidente Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná – FETAEP, Ademir Mueller, apresentou a meta de 50 sindicatos de trabalhadores agrícolas filiados no período. Segundo ele, nesse primeiro momento serão convidados cerca de 100 sindicatos, um terço dos filiados à Federação.

Segundo o dirigente nacional da CTB, João Batista Lemos, o Paraná estabeleceu uma meta ousada, mas com plenas condições de se atingida. Segundo Batista, a CTB deverá ultrapassar o patamar de 7% de filiação até o Congresso. A meta nacional para a consolidação da entidade é 10% dos trabalhadores do país na base.

Outro assunto discutido na reunião foi o salário mínimo regional recentemente reajustado, o maior do País. Segundo José Agnaldo Pereira, presidente da CTB PR, esse é uma conquista dos trabalhadores de todo o Paraná e deve ser valorizada. Apesar da lei, os dirigentes da CTB constataram que muitas categorias continuam recebendo menos que o mínimo regional. “Os empregadores pressionam os sindicatos a aceitarem valores inferiores muitas vezes usando de chantagem. Os trabalhadores não podem aceitar isso.” Completou Agnaldo.

Sobre o salário mínimo regional, a CTB aprovou a nota abaixo:
 
Nota da CTB Paraná sobre o salário mínimo regional

A Direção Estadual da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Paraná (CTB PR), reunida em 24 de abril de 2009 em Curitiba, saúda a conquista do salário mínimo regional pelos trabalhadores e trabalhadoras do Estado.

O Governador do Estado e a Assembléia Legislativa cumpriram importante papel social ao apresentar, aprovar e sancionar a lei que estabelece o salário mínimo regional nos valores entre 605,52 e R$ 629,65, o maior do país. Apesar dos valores ainda serem defasados para sustentar dignamente uma família, constituem expressiva melhora na qualidade de vida dos trabalhadores.

No entanto, a CTB identifica dificuldades para a efetivação do salário mínimo regional em diversas categorias. As entidades patronais de diversos setores econômicos se recusam conceder reajustes e assinar acordos coletivos que contemplem o salário mínimo regional vigente. Diversos sindicatos patronais pressionam os trabalhadores para que aceitem acordos em valores inferiores aos do salário mínimo regional.

A CTB entende que os trabalhadores não devem aceitar chantagens e devem denunciar os empregadores que não implementarem os valores vigentes do salário mínimo regional. O acompanhamento do Ministério Público do Trabalho, do Secretaria Estadual do Trabalho e Emprego, da Superintendência Regional do Trabalho, das entidades sindicais de trabalhadores e do conjunto do movimento social organizado é fundamental para que a lei seja cumprida e os trabalhadores tenham acesso garantido a essa importante vitória.
Orientamos, portanto, aos sindicatos filiados que acionem o Ministério Público do Trabalho, a Secretaria Estadual do Trabalho e Emprego, a Superintendência Regional do Trabalho e direção estadual da CTB quando os valores do salário mínimo regional não forem respeitados pelos empregadores.

Por fim, a CTB conclama os parlamentares estaduais e federais para que aprovem leis que regulamente a recomposição dos valores do salário mínimo nacional e do salário mínimo regional, pela valorização do trabalho e dos trabalhadores e trabalhadoras.

Curitiba, 25 de abril de 2009

A Direção Estadual do CTB PR
0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.