Sidebar

22
Seg, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) manifesta sua total e ativa solidariedade aos rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba, no Pará, em greve desde o dia 19 de abril, bem como aos Sindicatos de Rodoviários do Pará (STREPA) e de Ananindeua e Marituba (SINTRAM), que lideram a corajosa luta.

Ao mesmo tempo, condena com toda energia a brutal repressão da PM contra grevistas e sindicalistas, com uso injustificado de balas de borracha, o que resultou em graves ferimentos no presidente do Sindicato dos Rodoviários de Ananindeua e Marituba, Huelen Ferreira, e prisão de dirigentes. É preciso também denunciar a inaceitável violência do patronato, que contratou bate-paus e policiais para oprimir e coagir grevistas. 

A paralisação, que conta com amplo apoio dos movimentos sociais, é uma reação à nova legislação trabalhista, que deixou os empresários ainda mais intransigentes e dispostos a destruir conquistas, impor retrocessos e consolidar o arrocho dos salários. Ao declarar a ilegalidade do movimento, negando aos rodoviários o direito de lutar e realizar greve, a Justiça colocou-se ao lado dos patrões.

Os rodoviários querem a restauração da jornada diária de 6h20, implantação do ponto biométrico, reajuste salarial de 10% para corrigir as perdas salariais e melhor qualidade para o transporte, o que requer a renovação da frota e outras iniciativas. A categoria merece apoio e solidariedade do conjunto da classe trabalhadora brasileira.

São Paulo, 23 de abril de 2018
Adílson Araújo, presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.