Sidebar

18
Qui, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) vem a público manifestar seu pesar pela morte do sindicalista José Ibrahim, de 66 anos. Seu corpo foi encontrado na manhã desta quinta-feira (2), na capital paulista.

joseibrahim2José Ibrahim tem seu nome gravado na história do sindicalismo brasileiro. Em 1968, com apenas 19 anos, liderou a primeira grande greve após o golpe militar de 1964, com seu firme posicionamento à frente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Osasco, quando a cidade era o centro metalúrgico nevrálgico do país.

Ibrahim, que foi um dos únicos demitido depois de terminado o movimento grevista, passou a viver na clandestinidade ingressando na luta armada, na Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Preso, foi torturado e, em setembro 1969, foi um dos presos políticos trocados pelo embaixador estadunidense Charles Burke Elbrick. Depois de 10 anos no exílio, vivendo no México, Cuba e Chile, Ibrahim retorna ao país e contribui com a fundação do Partido dos Trabalhadores, em 1980.

Atualmente Ibrahim ocupava a Secretaria de Formação Política da União Geral dos Trabalhadores (UGT). Seu corpo será velado na Assembleia Legislativa de São Paulo.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.