Sidebar

19
Dom, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
No dia 8 de março, as entidades sociais e populares paraenses reúnem mais de 200 mulheres que saem em marcha da escadinha (Presidente Vargas/Boulevard) em direção da Assembléia Legislativa do Estado. No caminho, ao som grupo folclórico “Arraial da Pavulagem” e parando em frente a locais de maior concentração, como Estação das Docas, mercado do Ver-O-Peso, Prefeitura e, finalmente na Assembléia, onde estava ocorrendo uma Sessão Especial em homenagem às mulheres.

Para surpresa de todas e todos as mulheres foram barradas na porta da Assembléia, com atitudes truculentas da segurança daquela casa parlamentar, inclusive com uso de palavras ofensivas como “essas mulheres são difíceis de domar”.

Somente após o encerramento do ato na assembléia é que foi liberado o ingresso das pessoas. Um verdadeiro desrespeito já que a Casa dizia estar realizando Sessão em homenagem às mulheres, mas que discriminava aquelas com marca de lutas e somente permitia acesso àquelas escolhidas pelos deputados paraenses.

Após muita violência contra as mulheres uma comissão entrou para falar com o deputado Juvenil para tratar do tema e entregar um documento de repúdio às práticas violentas das segurança da Assembléia. Nesta ocasião ficou definido a realização de uma Sessão Solene, com indicativo de ser neste mês de março.

CTB Pará


0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Diga não

banner violencia contra a mulher

Revista Mulher de Classe

banner revista mulher de classe