Sidebar

19
Qua, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

 

Neste 15 de outubro, data em que é comemorado o Dia dos Professores, a recém-eleita secretária-geral adjunta da CTB, Kátia Gaivoto, avaliou que ainda falta muito para avançar e somente com a luta da classe trabalhadora os profissionais conseguirão ter o reconhecimento e valorização. 

"Este é um dia de reflexão sobre a luta da categoria. É preciso levantar a discussão e chamar a responsabilidade dos governos para o sistema de ensino no país", expressou a dirigente., Profissional da educação, ela denuciou o sucateamento do setor público. “É preciso valorizar a educação como um todo, não adianta ter o profissional qualificado e não ter um giz na sala de aula”, disse.

Para ela o setor precisa avançar em muitos aspectos. "Os poucos benefícios que conseguimos foi devido à luta dos trabalhadores que cobraram soluções, fizeram seu papel e a Central tem que dar todo seu apoio para os professores". 

A cetebista conta que desde a juventude milita nos movimentos sociais e chegou a participar do Conselho da Mulher em Duque de Caxias (RJ), cidade onde reside atualmente. 

Ela lembra que acompanhou o processo de construção da Central desde o início, através da corrente do Sindicalismo Socialista Brasileiro (SSB). Kátia, que foi secretária de formação no Rio de Janeiro, espera fortalecer cada vez mais a CTB, mostrando seu diferencial em relação às demais centrais sindicais e valorizando as demandas da classe trabalhadora.  

“Temos a clareza de que a Central está consolidada para os trabalhadores. É uma opção para um debate mais progressista de concepção de classe”, informou. 

A professora, que também coordena a comunicação do Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES), destacou a importância da formação dos trabalhadores, principalmente no setor rural. “Precisamos mostrar para o trabalhador que o movimento sindical não é o mesmo dos anos 1980, 1990 (...) Hoje está mais dinâmico e temos que estar atentos a isto, e ver o sindicalismo como protagonista na defesa de um projeto nacional”, expressou. 

Érika Ceconi - Portal CTB 


 

Leia também: 
"Queremos renovar o sindicalismo com a juventude", afirma dirigente

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.