Sidebar

24
Qua, Abr

ABC Paulista

  • Caetano Veloso canta em São Bernardo e ensina a enfrentar os fascistas, nesta segunda (30)

    Acontece hoje em São Bernardo um show inusitado de Caetano Veloso. O compositor baiano canta em solidariedade à Ocupação Povo Sem Medo, em São Bernardo, no ABC Paulista, às 19h, no bairro Planalto, quilômetro 21 da via Anchieta. Vários artistas como Sonia Braga, Letícia Sabatella e Alinne Moraes prometem acompanhar Caetano neste show inteiramente gratuito.

    Gente (Caetano Veloso) 

    Mais de 7 mil famílias, lideradas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocupam um terreno de 60 mil metros quadrados há quase dois meses e reivindicam a integração desse terreno ao projeto Minha Casa Minha Vida, do governo federal, para terem a sua casa própria.

    Estão até sendo chamados de os Canudos do século 21, em referência aos Canudos, um movimento popular de fundo sócio-religioso liderado por Antônio Conselheiro, que durou de 1896 a 1897, no interior da Bahia.

    O músico é a mais recente vítima de movimentos de extrema-direita por causa de sua militância por causas democráticas. Caetano tem se manifestado a respeito das investidas do Movimento Brasil Livre (MBL, de cunho fascista) contra exposições de artes plásticas que contenham nus ou versem sobre temáticas que envolvam a sexualidade.

    Ele e sua ex-mulher Paula Lavigne processam o MBL e o ator pornô Alexandre Frota que o chamara de “pedófilo”. Justamente no meio de uma  turnê com seus três filhos, Tom Zeca e Moreno.

    Canto do povo de um lugar (Caetano Veloso) 

    Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, na quarta-feira (25), Caetano diz que “toda essa gente que mente cinicamente sobre exposições de arte usando a palavra pedofilia para angariar adeptos entre os mais ingênuos, se esforça para encobrir o desejo de manter a opressão sobre da maioria do povo brasileiro, que vive sob a mais pesada desigualdade econômica do mundo”.

    De acordo com o músico “os malucos dos grupos conservadores que se organizam à sombra das passeatas de 2013 sabem que não há casos de pedofilia onde eles dizem haver. Mas pode ser que ganhem dinheiro de grupos políticos para criar pautas que una as pessoas inocentes contra artistas e museus de modo que o que mais interessa - manter o poder econômico nas mãos de poucos - permaneça intocado”.

    Leia mais

    Por moradia decente, mais de 20 mil pessoas ocupam terreno abandonado em São Bernardo

    Morador de condomínio vizinho à Ocupação Povo Sem Medo em São Bernardo atira em ocupantes

    Ocupação Povo Sem Medo, do MTST, em São Bernardo (SP), ganha apoio da CTB e de artistas

    Pelo que se vê não é à toa que os extremistas elegeram Caetano Veloso a sua maior vítima do momento. A filósofa Marcia Tiburi nos ensina, em seu livro homônimo, como conversar com um fascista, Caetano está ensinando a como enfrentar os fascistas, sem medo de ser feliz.

    Um índio (Caetano Veloso) 

    Afinal como ele canta em sua música Gente: “Gente quer comer/Gente que ser feliz/Gente quer respirar ar pelo nariz/Não, meu nego, não traia nunca/Essa força não/Essa força que mora em seu/Coração”.

    Portal CTB - Marcos Aurélio Ruy

  • Candidato do PSDB à prefeitura de Santo André é acusado de utilização de trabalho infantil

    Os Jornalistas Livres gravaram um vídeo (assista no final) onde entrevistam meninos e meninas de até 11 anos distribuindo material de campanha do candidato Paulo Serra, do PSDB, à prefeitura de Santo André, no ABC Paulista.

    Serra enfrenta o atual prefeito da cidade, Carlos Grana, do PT, no segundo turno. A acusação viralizou na internet e é importante porque pela legislação no país ninguém com menos de 14 anos pode trabalhar.

    O vídeo mostra a garotada dizendo que ganha R$ 30 para distribuir material de campanha do candidato pelas ruas da cidade, sem lanche e sem nenhum acompanhamento.

    A denúncia lembra que o Artigo 403 da Lei 10.097 que alterou dispositivos da CLT no ano de 2000, proíbe empregar menores de 14 anos. Jovens entre 16 e 14 anos só poderão trabalhar em regime de aprendiz, sob a orientação de um adulto e em lugares que não ofereçam riscos físicos, morais e psicológicos.

    “Em pleno período escolar em todo o estado, quando os alunos concluem o último trimestre do ano, parece que os tucanos não consideram a rua um lugar suficientemente arriscado para os filhos de pais pobres”, diz a reportagem dos Jornalistas Livres.

    Assista 

    Portal CTB com Jornalistas Livres

  • Dia Nacional de Luta supera expectativas e anuncia greve geral

    A sexta-feira, 22 de março, Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro, superou as expectativas dos organizadores e foi marcada por manifestações de massa em todo o país. São Paulo madrugou agitada por uma paralisação relâmpago dos ônibus na capital e manifestações em dezenas de cidades, com destaque para o ABC paulista. Em São Bernardo sindicalistas e trabalhadores realizaram uma passeata pela manhã, com concentração diante da Ford para protestar contra a direção da empresa, que anunciou o fechamento da fábrica na cidade, o que significa a destruição de 3 mil postos de trabalho diretos e milhares de outros indiretos. 

     

    Os presidentes das centrais reiteraram a decisão de dar continuidade à luta em defesa da Previdência Pública e das aposentadorias, ameaçadas pelo projeto encaminhado por Bolsonaro ao Congresso, cujo maior objetivo é a privatização do sistema previdenciário, uma ambição dos banqueiros.

      

    “Vamos continuar mobilizando e vamos construir as condições para deflagração de uma greve geral”, declarou Adilson Araújo, presidente da CTB. “Estou convencido de que podemos e vamos sair vitoriosos desta grande batalha. Derrotamos o propósito de Michel Temer neste sentido e agora repetiremos a dose com a proposta do Bolsonaro e Paulo Guedes, que é ainda mais perniciosa para a classe trabalhadora”.

    O Dia de Luta, convocado unitariamente pelas centrais sindicais e considerado exitoso, contou com paralisações de motoristas, professores e outras categorias. Em São Paulo, foi encerrado no início da noite com um ato político que reuniu mais de 60 mil pessoas na Avenida Paulista. Manifestações de protestos, incluindo paralisações, foram promovidas em todas as capitais do país e em cerca de 130 cidades.

  • Mobilização na Ford em São Bernardo do Campo

    No ABC paulista, na portaria da Ford em São Bernardo do Campo-SP, a luta começou cedo com paralisação dos transportes que atrasaram as saídas dos ônibus. Aqui na Ford a CTB representada pelo presidente nacional Adilson Araújo e dirigentes das demais centrais sindicais manifestam solidariedade aos trabalhadores pela manutenção da empresa e dos empregos. A luta segue por todo o país. Vamos à luta!

     

     

     

     

  • Morador de condomínio vizinho à Ocupação Povo Sem Medo em São Bernardo atira em ocupantes

    Neste sábado (16), um morador de um condomínio de classe média, vizinho à Ocupação Povo Sem Medo, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, atirou contra o acampamento e feriu Audnei Serapião da Silva no braço.

    A Guarda Civil Metropolitana escoltou o ferido ao Pronto Socorro central da cidade e a polícia civil fez um boletim de ocorrência.

    Para denunciar a falta de diálogo e a violência, ocorre neste domingo (17) um ato de apoio à Ocupação Povo Sem Medo. Diga não ao ódio e à intolerância e participe.

    Saiba mais pela página de Facebook da manifestação aqui.

    Mais de 6.500 famílias ocupam esse terreno de 60 mil metros quadrados, em frente à fábrica da Scania, desde o dia 1º de setembro, com objetivo de conseguir casa própria pelo programa Minha Casa, Minha Vida Entidades.

    Saiba mais

    Por moradia decente, mais de 20 mil pessoas ocupam terreno abandonado em São Bernardo

    Tem uma postagem em rede social com fotografia de passaporte, onde a pessoa afirma que está de volta ao Brasil “carregando uma ponto 40 na mala... tem uns índios invadindo os matos”. Os sem teto suspeitam de que ele seja o atirador (confira a postagem abaixo).

    sindico de condominio proximo a acampamento do mtst

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Ocupação Povo Sem Medo, do MTST, em São Bernardo (SP), ganha apoio da CTB e de artistas

    Carlos Rogério Nunes, integrante do Conselho Fiscal da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) nacional, representou a entidade na assembleia, com mais de 15 mil pessoas, da ocupação Povo Sem Medo, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

    “A CTB nacional está presente aqui para ser solidária à luta pelo direito à terra, à moradia, pelo direito à dignidade humana”, diz Nunes. “Juntamente com diversos representantes dos movimentos sociais, de inúmeras religiões e de várias centrais sindicais”, complementa.

    O coordenador do MTST, Guilherme Boulos afirma a disposição de luta dos ocupantes. De acordo com ele, já são mais de 7,5 mil famílias no terreno de 60 mil metros quadrados no bairro Planalto, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

    assembleia povo sem medo sbc sp rogerio nunes ctb 2017 10 01 1

    “Já tivemos duas reuniões com a MZM (construtora proprietária do terreno), mas não avançamos em nenhum ponto ainda”, conta. “Esta megaocupação completa um mês neste domingo e não arredaremos pé daqui sem uma solução para quem está sem onde morar”.

    Para ele, a resistência continuará porque o desemprego avança, o aluguel fica cada vez mais caro e por isso, “as ocupações vão aumentar em todo o país”. O coordenador do MTST garante que se houver “desocupação sem nenhuma garantia para o povo trabalhador, haverá resistência”.

    Nunes analisa essa possibilidade e teme “um novo massacre porque aqui estão muitas crianças, mulheres e idosos, aqui estão trabalhadores e trabalhadoras que querem viver com dignidade”.

    Por isso, diz, “o poder público deve intermediar uma negociação e, com o programa Minha Casa, Minha Vida, atender essa população e resolver o problema de moradia”. O sindicalista lembra ainda que a CTB “empreende esforços para uma política voltada para o crescimento econômico com criação de empregos”.

    Assista o vídeo com inúmeros artistas apoiando a ocupação e a luta por moradia 

    Nesta segunda-feira (2) ocorre um julgamento de um pedido de reintegração de posse e o movimento espera uma decisão favorável porque “o terreno está abandonado há anos e morar decentemente é um direito humano e constitucional”, sintetiza Nunes.

    Nesta terça-feira (3), o MTST realiza uma grande marcha pelas ruas de São Paulo para denunciar à sociedade a falta de moradia para um grande número de famílias. “Às 6h da manhã já estaremos marchando pelo direito à casa própria”, conclui Boulos. Ele informa ainda que o MTST vai tentar negociação com o governador Geraldo Alckmin.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Upes diz que violência não tirará estudantes da luta contra os ladrões da merenda

    Manifestantes na Câmara Municipal de Mauá em defesa da CPI da Merenda já

    Em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (Upes), Emerson Santos, o Catatau, diz que a Guarda Civil Metropolitana de Mauá, no ABC Paulista, “bateu gratuitamente” nos jovens que ocuparam a Câmara Municipal da cidade em defesa de instauração da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Merenda, nesta terça-feira, 2 (acesse aqui).

    Ele agradece as mensagens de solidariedade e afirma que essa truculência “fortalece a luta”. E complementa dizendo que os estudantes secundaristas "continuarão ocupando os espaços que forem necessários em defesa de uma educação de qualidade e na caça de todos os ladrões da merenda”.

    Veja o presidente da Upes, Catatau 

    Os Jornalistas Livres mostram um vídeo com a truculência policial. “Mesmo depois de ter levado cacetadas, estar rendido e com a cabeça sangrando, Catatau - que chorava de dor - foi posto de joelhos por um brutamonte que quase quebrou seu braço”, diz texto deles.

    O presidente da Câmara de Mauá, Marcelo Oliveira (PT) disse ao "Diário do Grande ABC" que “toda manifestação tem de ser respeitada. Mas começaram a jogar algumas coisas e depois pularam no plenário e a guarda está aqui para quê? Para tomar conta do patrimônio. A maioria dos manifestantes é candidato a vereador”.

    Assista a violência contra os estudantes em Mauá (SP) 

    Portal CTB - Marcos Aurélio Ruy

  • Vaquinha feita para remover tatuagem absurda em garoto mostra que nem tudo está perdido

    Repercute na internet o caso da tatuagem que o pedreiro Ronildo Moreira de Araújo e o tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis fizeram na testa de um jovem de 17 anos, no dia 31 de maio, em um condomínio em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

    Inclusive a família do garoto alega que ele sofre transtornos mentais e estava desaparecido alguns dias. A polícia prendeu os dois acusados e registrou a ocorrência como tortura.

    “As pessoas estão longe de saber o que é Justiça”, define Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em São Paulo (CTB-SP).

    Bitencourt afirma isso porque o jovem foi pego pelos dois agressores sob a suspeita de ter tentado roubar uma bicicleta. A punição tatuar em sua testa a frase “sou ladrão e vacilão”.

    Ao mesmo tempo em que a onda fascista vocifera sobre o acontecido, querendo mais vingança e mais punição, prolifera nas redes sociais uma forte onda de solidariedade. O Site www.vakinha.com.br já arrecadou mais que o dobro pretendido para a remoção de tão cruel tatuagem.

    A arrecadação foi organizada pelo grupo Afroguerrilha, que publicou em sua rede social: “Como disse aquele Jesus que muitos aí dizem seguir: ‘Quem nunca cometeu um erro, que atire a primeira pedra… Amai o outro como a ti mesmo’. Esse amor era um que transformava, não um que condenava. Você gostaria de ser torturado e ter seus (supostos) erros tatuados na sua testa?”.

    Faça a sua doação aqui.

    “As pessoas confundem punição e vingança com Justiça”, diz a dirigente da CTB-SP. “A função da Justiça é julgar e condenar se houver provas, tudo dentro da lei e da civilidade. O Estado tem que trabalhar para recuperar as pessoas e não apenas punir”, acentua.

    “É assustador a raiva nos comentários da vaquinha feita para auxiliar esse jovem na remoção da tatuagem. É assustador como o fascismo ganha forças em cima da vulnerabilidade de negros, pobres, doentes mentais, deficientes físicos, mulheres, e as pessoas defendem como sendo liberdade de expressão”, diz a ativista do movimento negro Stephanie Ribeiro.

    Mas circula também uma charge simbolizando o menino com a inscrição “Tortura não é Justiça”. Tortura é crime hediondo, de lesa a humanidade.

    Além de defender a atuação da Justiça pela prevalência dos Direitos Humanos e da vida civilizada, Bitencourt acredita na necessidade de se lutar por um sistema mais justo e menos desigual.

     Confira om texto do Afroguerrilha abaixo:

    “Vivemos numa sociedade extremamente desigual e querem resolver os problemas com brutalidade, em vez de investir em educação, em cultura, no esporte. Querem punir a juventude, em vez de criar-lhes oportunidades com liberdade, solidariedade e Justiça”, reforça a cetebista.

    “Mas a vaquinha feita para remover a tatuagem absurda no garoto, de apenas 17 anos, e supostamente com problemas mentais, mostra que nem tudo está perdido neste país. Há uma esperança e é essa esperança que nos move para a frente”, conclui.

    Portal CTB - Marcos Aurélio Ruy. Charge: Hiro