Sidebar

18
Ter, Jun

Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal

  • A Caixa Econômica Federal paga nesta sexta-feira (17), o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS), referente ao calendário 2017/2018, ano-base 2016, para trabalhadoras e trabalhadores nascidos em novembro. Os valores variam de R$ 79 a R$ 937.

    Tem direito ao abono quem estiver inscrito há pelo menos 5 anos no PIS e tenha trabalhado com carteira assinada no mínimo 30 dias em 2016, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

    De acordo com informações da Caixa serão pagos R$ 1,2 bilhão para 1.778.726 trabalhadoras e trabalhadores. Maiores informações pelo site www.caixa.gov.brou ligar para o telefone: 08007260207. Quem tem conta na Caixa já recebeu o benefício automaticamente na terça-feira (14).

    Quem tiver o Cartão do Cidadão, com senha cadastrada, pode se dirigir a uma casa lotérica, um ponto de atendimento Caixa Aqui ou aos terminais de autoatendimento do banco. Quem não tem o cartão e não tenha recebido automaticamente em conta, o abono pode ser retirado em qualquer agência da Caixa, basta apresentar o documento de identificação.

    Saiba como funciona o PIS/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor (Pasep)

    O PIS e o Pasep foram criados pelo governo federal em 1970, com o objetivo de promover a integração dos trabalhadores na vida e no desenvolvimento das empresas.

    O PIS é destinado aos que atuam no setor privado e o Pasep aos funcionários e servidores públicos. Para ter acesso aos benefícios do PIS/Pasep, deve ser cadastrado pelo empregador no ato de contratação no primeiro emprego. O cadastramento pode ser feito em qualquer agência da Caixa, no caso do PIS, ou do Banco do Brasil, no caso do Pasep. Ao realizar este cadastramento, o empregador recebe um cartão com o número de inscrição, e deve entregá-lo ao trabalhador. Sem esse cadastro, o trabalhador não pode receber benefícios como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço nem o Seguro-Desemprego.

    Cotas e rendimentos

    Todos os trabalhadores que foram inscritos no PIS/Pasep até 4 de outubro de 1988, ao serem cadastrados no programa, receberam Cotas do Fundo de Participação PIS/Pasep, que são como ações deste fundo e podem ser resgatadas sob determinadas condições. Desde o exercício financeiro 1989/1990, não houve mais distribuição de cotas aos participantes do PIS/Pasep, quem foi cadastrado a partir de 5 de outubro de 1988 não possui estas cotas.

    O saque das cotas do PIS/Pasep pode ser solicitado em qualquer agência da Caixa (PIS) ou do Banco do Brasil (Pasep), nas seguintes situações:

    - Transferência de militar para a reserva remunerada

    - Reforma militar/Invalidez permanente

    - Aposentadoria

    - Idade (permitido aos participantes com idade igual ou superior a 65 anos para homens e 62 anos para mulheres)

    - Morte do trabalhador (neste caso, é recebida pelos herdeiros legais)

    - Portador do vírus HIV (SIDA/AIDS), seja o titular ou seus dependentes

    - Neoplasia Maligna (câncer) do titular ou de seus dependentes

    - Benefício Assistencial à pessoa portadora de deficiência e ao Idoso

    Além do saldo de cotas, o trabalhador tem direito a receber os rendimentos de seu saldo PIS/Pasep, que hoje é de 3% ao ano, referente aos juros, mais o Resultado Líquido Adicional da aplicação, que varia anualmente.

    Vale lembrar que, diferentemente do abono salarial, os rendimentos do PIS/Pasep não reclamados pelo trabalhador são incorporados ao seu saldo de cotas, ou seja, o trabalhador não vai perder este valor, podendo sacá-lo quando for receber suas cotas.

    Portal CTB e SaldoPIS.com.br

  • Depois de muitas idas e vindas, Jair Bolsonaro decidiu exonerar no início da noite desta segunda-feira (18) o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, informou o porta-voz da Presidência Otavio Rego Barros. “Deseja sucesso em sua caminhada”, disse em lacônico pronunciamento no Palácio do Planalto.

    O porta-voz do Planalto evitou dar detalhes dos motivos da demissão de Bebianno. “Motivo de foro íntimo” do presidente Jair Bolsonaro, limitou-se a explicar o general. Alvo de denúncias que o apontam como responsável por um esquema de candidatos laranjas na campanha eleitoral do PSL, Gustavo Bebianno foi fritado e esculhambado publicamente pelo vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, que chemou o ministro de mentiroso.

    Bebianno se sentiu traído e não facilitou as coisas para seu ex-chefe, a quem teria chamado de “louco” e “desleal”. Ameaçou botar a boca no trombone e vazar os esquemas ilegais, incluindo Caixa 2, usados na bilionária campanha do capitão. Ainda não se sabe se o presidente conseguiu comprar o silêncio daquele que até poucos dias atrás era considerado o seu braço direito político.

    A demissão pode não significar o fim da crise política iniciada com as afirmações pouco diplomáticas do filho, o vereador carioca Carlos Bolsonaro. Se as feridas não forem curadas ou aliviadas, quem sabe com um valioso prêmio de consolação para o humilhado ministro, o episódio pode custar caro ao governo, além de comprometer a agenda de reformas neoliberais no Congresso Nacional, como sugeriu o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

    O general da reserva Floriano Peixoto Neto será o substituto de Bebianno. A indicação é mais um claro sinal de que a crise política fortaleceu o grupo dos militares, propiciando uma militarização ainda maior do governo de extrema direita encabeçado por um capitão reformado com um general quatro estrelas na vice-presidência.

    Umberto Martins

  • O Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb-SE) fará a posse festiva da nova diretoria, para o mandato 2016/2019. A festa será nesta sexta-feira (22), às 20h, na Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef). Das atrações musicais, a posse será animada pelo saxofonista Cássio Ranieri, banda Água Viva e, em seguida, terá boate com DJ Nina Divas.

    82 anos de existência

    A solenidade festiva acontece no mês comemorativo ao aniversário do Seeb-SE. Fundado 14 de julho de 1934, o Sindicato dos Bancários de Sergipe fará 82 anos de existência.

    Nessas oito décadas, esta será a primeira vez que uma mulher é eleita e toma posse como presidente da entidade. A eleição para renovação da diretoria do Seeb-SE aconteceu em maio deste ano. Chapa única, denominada Avançar nas conquistas obteve o maior índice eleitoral da história das eleições para direção Seeb-SE. Com a participação de 2.047 sindicalizados, Ivânia Pereira foi eleita com 2.022 dos votos válidos, o que representa 98,78% dos votos. Ainda da apuração, foram 19 votos brancos e seis nulos.

    Longa trajetória

    “O nosso sindicato se mantém forte, independente e de muita luta. Essa entidade sindical iniciou sua longa trajetória participando das principais lutas do país, como a campanha 'O Petróleo é Nosso', e as greves da categoria que marcaram a história, como a de 1951. Para a nova gestão, estaremos oxigenando as nossas forças. Mas manteremos esse perfil classista, que significa dizer que estaremos reforçando as batalhas específicas de bancários e bancárias e, ao mesmo tempo, participando das lutas gerais e unificadas com o conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras. Precisamos impedir retrocessos e avançarmos por um país mais justo sócio e economicamente, e que valorize o trabalho”, afirma Pereira. 

    Por Déa Jacobina - Seeb-SE