Sidebar

20
Qua, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, seção Distrito Federal (CTB-DF) participou nesta quarta-feira (28) do Fórum Intersindical do DF, na sede do Sindicato dos Professores (Sinpro).

Paulo Vinicius Santos da Silva, o PV, secretário das Relações do Trabalho da CTB, representou a central. Ele conta que a temática geral do evento se referiu á integração do movimento sindical para defender a saúde das trabalhadoras e dos trabalhadores.

“Os debates ocorreram para aumentar a articulação intersindical em defesa da saúde da classe trabalhadora”, afirma PV. Principalmente por causa dos efeitos nefastos da reforma trabalhista sobre a vida das pessoas.

“A deforma trabalhista destroça as garantias de quem trabalha e expõe a todas e todos a uma série de riscos causados pelo ritmo de trabalho e pela jornada exaustiva a que as pessoas estão expostas com essa nova realidade”, garante.

De acordo como sindicalista, também foi discutido o problema das lesões e de como elas podem ser ressarcidas com a reforma trabalhista. “As indenizações serão pagas segundo a faixa salarial e não pelo dano efetivamente sofrido pelas pessoas”.

PV e Rodrigo Britto, presidente da CUT-Brasília falaram na abertura do evento que foi seguido de palestras sobre as causas e consequências da LER/Dort, já que 28 de fevereiro é o Dia Mundial de Combate à LER/Dort.

forum intersindical df

Os diversos representantes sindicais presentes, mostraram-se preocupados com essa situação. “Todos esses problemas estão levando a progressivas articulações do movimento sindical cobrando dos poderes públicos as devidas fiscalizações para sanar problemas de insalubridade, de abuso nos locais de trabalho, garantindo uma proteção maior a quem trabalha”, reforça PV.

Representando do Sinpro-DF, falou Manuel Filho, secretário de Saúde do Trabalhador do sindicato. Para ele, a unidade do movimento sindical é essencial para barrar os retrocessos do desgoverno Temer. "Defender a saúde da classe trabalhadora é essencial para podermos nos organizar e resisitir a esse governo ultra-liberal que quer acabar com nossas conquistas e ainda pretende acabar com a saúde pública", diz.

Além dos sindicalistas, participaram representantes do Fórum Intersindical do DF, representante do Ministério da Saúde, da Secretaria da Saúde do DF, do Fórum Intersindical, do Sinpro-DF e representantes de servidores públicos federais e municipais. Também participou do Fórum, o jurista Charles Lustosa Silvestre, procurador do Ministério Público do Trabalho.

Marcos Aurélio Ruy e Ruth de Souza (de Brasília) - Portal CTB 

Foto: Guina  Ferraz - Seeb - Brasília 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Últimas notícias