Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após serem duramente reprimidos com balas de borracha pela Polícia Militar (PM) do governador Simão Jatene (PSDB), os rodoviários do Pará, em greve, recebem a solidareidade de sindicalistas em ato neste domingo (22), às 15h, “contra a violência policial que machucou trabalhadores”, diz Cleber Rezende, presidente da CTB-PA.

A manifestação ocorre às 15h, na Praça do Operário, no bairro São Brás, na capital Belém, onde serão deliberadas as atividades da segunda-feira (23). “O transporte público da Grande Belém está paralisado porque os patrões se negam a dialogar sobre as nossas reivindicações”, afirma Huelen Ferreira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Ananindeua e Marituba (Sintram). Também aderiu a greve, o Sindicato dos Rodoviários do Pará.

No sábado (21), a PM reprimiu violentamente os grevistas, inclusive chegando a deter dirigentes do Sintram. Todos já estão liberados, mas “a repressão fortaleceu ainda mais o movimento e inúmeras entidades sindicais se solidarizam e apóiam os rodoviários do Pará em sua mobilização", garante Rezende.

De acordo com os sindicalistas, a justiça está tão favorável aos patrões que publicou um interdito proibitório ainda neste domingo. Com isso, os diretores do sindicato terão que manter uma distância mínima de 200 metros dos portões das empresas de transporte durante a paralisação.

ctb pa rodoviario ferido

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 8ª Região determinou a circulação de 80% da frota e 100% nos horários de pico, além de proibir a catraca livre. Determinou também multas de R$ 100 mil por dia de greve que tiver menos de 80% de ônibus circulando e R$ 20 mil por dia e por ônibus que circular com catraca livre.

Mesmo assim, a categoria deliberou pela greve na quinta-feira (19). De acordo com os sindicalistas, a greve é um marco da luta contra esta reforma e na busca de garantia de direitos, por reajustes salariais e do tíquete-alimentação, readequação da jornada de trabalho para 6h20, entre outros pontos.  

A CTB-PA apoia integralmente a paralisação, juntamente com dezenas de sindicatos paraenses. Por isso, “chamamos a todas e todos a participarem desse ato de solidariedade à paralisação dos companheiros rodoviários que lutam pro melhores condições de trabalho e de vida”, conclui Rezende.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.