Sidebar

21
Ter, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Na manhã desta sexta-feira (2), as centrais sindicais CTB, NCST; Intersindical, CSB e Conlutas se reuniram para debater sobre o caso Volkswagen, que tenta de diversas maneiras inviabilizar o prosseguimento dos trabalhos do Fórum de Trabalhadores(as) que segue lutando por justiça e reparação dos crimes cometidos na ditadura militar.

A socióloga e historiadora Márcia Regina Viotto, da Secretaria da Mulher da CTB, representou a entidade no encontro.

Além da busca de reparação coletiva às violações que ocorreram durante a ditadura, o Fórum organiza um fundo para investigar e fiscalizar as empresas e está lançando o manifesto O Caso Volkswagen: defendemos negociações públicas e transparentes.

Depois de muita pressão, o fórum conseguiu retomar os trabalhos em GT, no Ministério do Trabalho, que está habilitado a funcionar até junho, promovendo audiências publicas nos seguintes estados: Minas Gerais, Pernambuco, Ceará, Bahia, Goiás e Rio Grande do Sul. 

“Também terá continuidade, a construção de um dossiê em 2018 sobre as lutas dos trabalhadores e a repressão patronal durante a ditadura na Baixada Santista“, diz Márcia Viotto.

O caso foi tema de audiência pública no último dia 23/2, na Câmara Municipal de Santos.  

Sobre a Companhia das Docas, em Santos, onde também ocorreram graves violação de direitos humanos, o fórum trabalha para instaurar inquérito no Ministério Público Federal. Santos conta com um conselho sindical forte que agrega mais de 90 entidades e se compromete com essa luta.

Acesse aqui o manifesto.

Portal CTB

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.