Sidebar

26
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Estudo do da Fundação Seade (órgão vinculado ao governo estadual) e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela que a taxa média de desemprego na região metropolitana de São Paulo é maior dos últimos 13 anos. A alta foi de 18% em 2017.

Desemprego: Brasil perde 328 mil vagas em dezembro e encerra 2017 negativo

De acordo com as instituições a trajetória era de queda até 2013. Na média, a região teve 2,002 milhões de desempregados, 137 mil a mais do que no ano anterior, crescimento de 7,3%. 

Cresce a precarização

Os dados também apontaram para o avanço da precarização com a queda do emprego com carteira no setor privado (-3,3%, ou menos 165 mil pessoas) e cresceu a ocupação sem carteira (2,6%, ou mais 19 mil). O número de autônomos também cresceu: 7,3% (acréscimo de 109 mil).

Brasil em crise: pesquisa mostra que medo do desemprego explode e atinge 65,7%

Quem mais demitiu?

O estudo ainda mostra os setores que mais demitiram. A indústria de transformação perdeu 36 mil postos de trabalho, retração de 2,6% – o segmento de metal-mecânica, no qual se incluem as montadoras, cresceu 1,2% (6 mil). A construção civil recuou 2,7%, cortando 17 mil vagas, e os serviços eliminaram 71 mil (-1,3%). Houve aumento em comércio/reparação de veículos, que abriu 15 mil vagas (1,9%).

O rendimento também caiu

O rendimento médio real dos ocupados, estimado em R$ 2.033, caiu 0,8% de 2016 para 2017. A massa de rendimentos caiu 2%.

Portal CTB - Com informações das agências

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.