24
Ter, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Educadores gaúchos do CPERS-Sindicato realizaram uma agenda de atividades na manhã desta terça-feira (10).

Às 08:00h participaram do ato unificado com os servidores públicos de Porto Alegre, em frente ao Paço Municipal, onde educadores da rede pública municipal de ensino protestavam contra o parcelamento de seus salários praticado pelo prefeito Nelson Marchezan (PSDB).

Da sede da Prefeitura de Porto Alegre seguiram para a Secretaria da Educação (SEDUC), onde educadores do magistério público estadual tinham audiência marcada para as 9h com o governo do estado, na expectativa que se articulasse uma mesa de negociações e que fossem apresentadas propostas.

Mesmo há 35 dias em greve, e sob o risco da não conclusão do ano letivo, o governo Sartori mais uma vez mostrou-se intransigente e insensível diante das justas reivindicações de professores e funcionários de escolas.

Ficou decidido que a categoria permanece em greve.

Da Secretaria de Educação a marcha seguiu para o Palácio Piratini, sede do governo estadual, onde em torno de duas mil pessoas entre crianças, pais, mãe, alunos e educadores lotava, a Praça da Matriz, realizando uma grande atividade celebrando o Dia das Crianças e também em protesto contra o parcelamento e atraso no salário do funcionalismo público, ficando também em vigília para fazer pressão junto aos deputados que poderiam votar na sessão de hoje matérias que tiram direitos dos trabalhadores gaúchos.

Veja como foi:

 

CTB Educação – RS

0
0
0
s2sdefault
Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro