24
Ter, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

"Ilusão de classe achar que os problemas da classe trabalhadora serão resolvidos pela edição de uma Medida Provisória (MP) de um ilegítimo governo", afirmou Adilson Araújo, presidente nacional da CTB, ao ressaltar, em nota, que o movimento sindical não tem procuração para negociar as conquistas e direitos da classe trabalhadora.

Centrais sindicais: resistência e luta seguirão firme até dia da greve geral

O dirigente lembra que as conquistas e direitos serão defendidos sem trégua e reafirmou que a palavra de ordem é resistir a todo custo. "O Brasil eclodiu em protestos por Direitos, Diretas e Fora Temer! A GREVE GERAL é a celebração com conteúdo de classe", destacou ao confirmar que a CTB segue firme na construção da greve geral no próximo dia 30 de junho. 

Leia íntegra:

MOVIMENTO SINDICAL NÃO TEM PROCURAÇÃO PARA NEGOCIAR DIREITOS DA CLASSE TRABALHADORA

Direito não se vende, se conquista!

Ilusão de classe achar que os problemas da classe trabalhadora serão resolvidos por uma MP de ilegítimo governo. O Brasil eclodiu em protestos por Direitos, Diretas e Fora Temer! 

A GREVE GERAL é a celebração com conteúdo de classe.

Seguiremos na resistência!

Adilson Araújo
Presidente Nacional da CTB

Junho de luta

As centrais sindicais definiram ALERTA TOTAL entre os dias 20 a 30 de junho em torno da votação no Senado da Reforma Trabalhista.

Agenda:

19 de junho - plenária do setor dos Transportes, às 15h, no Sindicato dos Condutores.

20 de junho - Concentração na Praça Patriarca, às 10h, para panfletagem e caminhada unificada das centrais; 

21 de junho - reunião do Dieese para organização da luta.

22 de junho - plenária dos Metroviários.

30 de junho - GREVE GERAL

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault
Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro