Sidebar

12
Qua, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A greve dos caminhoneiros já está no oitavo dia e ainda não foi adotada uma solução de consenso para a crise. Apesar das concessões feitas pelo governo federal e anunciadas neste domingo (27), ainda há lideranças do movimento que não aceitaram encerrar a paralisação e seguem interditando rodovias em todo o país.

Ao final da tarde desta segunda (28), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, em vez de reduzir, os pontos de bloqueios nas estradas aumentaram de 554 para 594 pontos.

Segundo a PRF, a maioria dos bloqueios é parcial e não causa prejuízo aos veículos não envolvidos nas manifestações. 

Os desdobramentos da greve ainda são incertos, já que algumas entidades de caminhoneiros divulgaram o encerramento do movimento após o acordo, mas outras afirmam que a paralisação pode seguir até a quarta (30).

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e o Sindicato Interestadual dos Caminhoneiros Autônomos não tratam a paralisação como encerrada. 

Entre as reivindicações atendidas pelo governo, estão a redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias, o estabelecimento de uma tabela mínima dos fretes e a isenção da cobrança de pedágio para eixo suspenso de caminhões vazios, em rodovias federais, estaduais e municipais

Uma nova reunião de avaliação da situação de restabelecimento da normalidade em todo o País está marcada para as 10h em Brasília — não é garantida, ainda, a presença de Temer.

Portal CTB com agências

 

0
0
0
s2sdefault