Sidebar

24
Dom, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

No último domingo (1º/10), 2,2 milhões de catalães participaram de um plebiscito para decidir se a região se tornaria independente da Espanha. A consulta popular foi marcada pela violência policial que reprimiu duramente os participantes.

A Federação Sindical Mundial (FSM) divulgou uma nota em repúdio à ação do governo espanhol de Mariano Rajoy que considera a ação ilegal e afirmou que "não houve um referendo".

O resultado foi de 90% dos votos a favor do 'sim' à independência da Catalunha. O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, afirmou que busca “mediação” internacional com governo espanhol.

Leia a integra da nota da Federação Sindical Mundial:

A Federação Sindical Mundial (FSM) que representa mais de 92 milhões de trabalhadores e trabalhadoras em 126 países, denuncia os acontecimentos do domingo (1º/10) na Catalunha onde as forças repressivas do Estado espanhol fizeram, agrediram e prenderam cidadãos que queriam expressar livre e democraticamente suas opiniões.

O movimento sindical classista de todo o mundo, filiado à FSM, denuncia as práticas autoritárias e o terrorismo do governo de Rajoy contra seu próprio povo. A Federação Sindical Mundial, fiel aos seus princípios fundadores, apoia o direito de cada povo de decidir, livremente, sobre seu presente e futuro.

Portal CTB 
Foto: Reuters/David Gonzalez

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.