Sidebar

20
Seg, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após dois dias de debates, o Fórum Brasil de Comunicação Pública, entregou ao ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, a Plataforma pelo Fortalecimento da Comunicação Pública, documento final contendo as demandas do setor. Entre as prioridades está a constituição de um marco regulatório unificado, a universalização do acesso à comunicação pública, a convergência de conteúdos e novas formas de financiamento do sistema público. 

Para Carvalho, o acesso democrático aos meios de comunicação é condição essencial para o exercício da democracia participativa. O ministro garantiu ainda que a comunicação pública é uma das prioridades para o próximo mandato do governo. “As manifestações de junho de 2013 demonstraram o quanto a área de comunicação está clamando por mudanças. É preciso estimular a consciência democrática para que a participação social avance", completou.

O ministro aproveitou a oportunidade para criticar a sustação do decreto da presidenta Dilma Rousseff que criava a Política Nacional de Participação Social (Decreto 8.243/14). “Causou estranheza a Câmara aprovar um texto que anula o decreto da presidente Dilma", comentou.

O evento, promovido pela Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular (FrenteCom), foi realizado na Câmara dos Deputados nesta quinta (13) e sexta-feira (14) e reuniu representantes de todos os atores do setor de comunicação.

A secretária de Imprensa e Comunicação da CTB, Raimunda Gomes, a Doquinha, participou dos dois dias de debates e acredita que o Fórum reforça a luta pelo fortalecimento da comunicação pública. “Só teremos mudanças na atual lógica da comunicação quando o setor público estiver fortalecido”, ressaltou. Doquinha acredita que é preciso construir uma contra-ideologia para que a sociedade possa ter acesso à informação que hoje é feita pelo monopólio dos meios de comunicação. “É preciso ter mais de uma impressão dos fatos e a CTB está nessa luta”, reforçou.

De Brasília,
Ludmila Machado - Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.